Como aceitar as coisas como são sem se conformar


Para começar eu quero explicar porque falar desse tema é tão importante. Não sei se você sabe, mas o meu trabalho é ajudar as pessoas a terem a vida que querem através do desenvolvimento de suas habilidades e competências pessoais e profissionais.


Entre todos os desafios dessa jornada, eu entendo que o maior deles tem a ver com a postura que adotamos diante das circunstâncias da vida. Importante lembrar que nossa postura está relacionada com a forma como vemos e interpretamos o mundo a nossa volta e essa interpretação gera emoções, que geram ações e por consequência seus respectivos resultados.


Explicado isso, eu falarei sobre duas posturas antagônicas o conformismo e aceitação. Sei que muitos de nós interpretam essas posturas como sendo "a mesma coisa", mas isso não é verdade.


Então qual a diferença entre conformismo e aceitação?


Pense Naquela frase que todos ouviram em algum momento "o que tiver que ser, vai ser”.

Pensou? agora pare alguns segundos para perceber, qual a primeira sensação ou emoção que surge em você?


Algumas pessoas podem sentir um certo alívio, outras um pouco de desconforto e até desespero e não tem certo ou errado, mas a partir daí você será capaz de avaliar se você está mais para o conformismo ou aceitação, explico.


Quando sentimos alívio diante de uma situação "aparentemente" irremediável, essa sensação pode estar relacionada a uma postura conformista se o que traz esse alívio é pensar:

· Ufa, Ainda bem que não tenho nada com isso.

· Eu não tenho nenhuma responsabilidade, a vida é assim mesmo.

· Eu sou uma pessoa desafortunada mesmo, de novo tudo deu errado estou fadado ao fracasso.


O que podemos ver nesses pensamentos? Podemos perceber a chama do conformismo que vai gerar ações e resultados correspondentes como: vitimismo, apatia, sequência de fracassos, fuga da responsabilidade só para dizer o mínimo.

Agora, se foi o desespero que veio, pode ser que exista dificuldades de aceitação, com pensamentos do tipo:

· Não é possível, eu nunca vou desistir.

· Se não for assim, não vai ser de jeito nenhum.

· Eu vou fazer o que tiver que ser feito para as coisas saírem como eu quero.


Resultado: revolta, gasto desnecessário de energia, sofrimento, ansiedade medo de perder o controle e uma sequência de frustrações, também estou sendo otimista.


Será Que você entendeu o espírito da coisa? Não importa qual a sensação ao ouvir (ler) a frase ou a situação da Vida em questão, mas o que gerou essa sensação.


A esse ponto você já deve ter percebido qual é a melhor opção, Com certeza aceitação, por isso precisamos entender a diferença entre ela e o conformismo.


Vamos colocar um exemplo que pode acontecer com qualquer um para entendermos melhor as três posturas, sim, conformismo, não aceitação e aceitação.


Fulano foi demitido!




Me responda, qual dos "fulanos" vai ter melhores resultados, equilíbrio emocional e uma vida mais leve?

E se fosse você nessa situação, qual seria a sua postura?

O ponto aqui não é se julgar, nem a ninguém, mas sim promover tomada de consciência, que é o passo mais importante para qualquer processo de desenvolvimento.

Todo mundo busca uma vida melhor de várias formas, quando aprendemos agir com aceitação a chances de conseguirmos aumenta muito.


Pratique aceitação em 05 passos


O que não tem remédio, remediado está. Porém, quem disse que não podemos buscar alternativas de “cura”?

Para quebrar os padrões de conformismo você precisa inserir os padrões de aceitação.

Lembrando que aceitar as coisas, não significa apatia, ao contrário. Ter aceitação é poupar tempo e energia emocional lidando com as situações da vida com mais leveza e eficiência.


FOQUE NOS FATOS

Algumas vezes no deixamos iludir pelas emoções e filtros mentais. Para aceitar é preciso ver com clareza.

Sempre que estiver diante de uma situação ou pessoa que parece difícil ou te incomoda, pense:

· O que está de fato acontecendo?

· O que pode comprovar minha percepção?

Então, separe o real do imaginário.


PRATIQUE O DESAPEGO

Se não é seu, se não pode controlar, se não foi você quem causou… desapega.

É mais um comportamento que vai te ajudar a aceitar as coisas, pois você só tem poder sobre aquilo que tem responsabilidade. Sua única responsabilidade diante de alguns fatos, é descobrir como lidar, desviar ou superá-los.


PROTAGONIZE

O que não tem remédio, remediado está. Porém, quem disse que não podemos buscar alternativas de “cura”?

É você que vai determinar quando é a hora de parar de tentar. Se não funciona de um jeito, busque outra solução. O importante é não se conformar, pode até aceitar que de um jeito não deu, mas de outro vai dar.


OLHE POR CIMA DO MURO

Algumas situações parecem verdadeiras muralhas impedindo que vejamos soluções possíveis. A dica é tentar ver por cima do muro, reformule o problema, ressignifique a questão. Pense nas variáveis. Busque pessoas que passaram pelo que está passando, compartilhe e colha outras percepções.


CONFIE NO TEMPO

Faz parte da aceitação conter a ansiedade e o imediatismo. As coisas têm seu tempo, não adianta correr, você só vai gastar sua energia. As realizações são feitas de etapas. Seja realista nas suas buscas, entenda e siga cada passo como deve ser.


Pratique essas dicas sempre que possível, aproveite cada circunstância, problema ou pessoa que te incomoda. Quanto mais disso você fizer, melhor nisso você fica.

Pense na sensação de liberdade e leveza que você vai ter, pense no quanto sua vida pode ser mais calma, em como você vai resolver as coisas mais rapidamente, com menos sofrimento. Tudo isso representa mais oportunidades de ser feliz. Vale a pena, eu garanto.


Assista a aula no Youtube





Conhece meus cursos?

Que tal aprender a comandar e gerenciar a própria vida?

Inscreva-se no curso Autogestão para o sucesso. Mais de 15 mil pessoas já fizeram e aprovaram, dá uma xeretada. :)



3 visualizações0 comentário
  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram

© 2015 by Nanda Ricci.